0

Resenha: O céu está em todo lugar

“Este é um livro de estreia vibrante, profundamente romântico e imperdível. Lennie Walker, de dezessete anos de idade, gasta seu tempo de forma segura e feliz às sombras de sua irmã mais velha, Bailey. Mas quando Bailey morre abruptamente, Lennie é catapultada para o centro do palco de sua própria vida – e, apesar de sua inexistente história com os meninos, inesperadamente se encontra lutando para equilibrar dois. Toby era o namorado de Bailey, cujos sentimentos de tristeza Lennie também sente. Joe é o garoto novo da cidade, com um sorriso quase mágico. Um garoto a tira da tristeza, o outro se consola com ela. Mas os dois não podem colidir sem que o mundo de Lennie exploda…” Resenha Skoob

Comprei o livro numa promoção da Saraiva, por 9,90, que inclusive ainda está em promoção (aqui), quando vi, como vocês já sabem que sou louca por promoções, comprei na hora, e não me arrependi, uma ótima história, e para mim, designer, o livro mais lindo que já vi, um ótimo trabalho gráfico, com aquelas capas com imitação das durinhas antigas ( esqueci o nome), as letras do livro são azuis, e ao passar do livro, tem uns bilhetinhos que a autora escreve, e aparecem as fotos dele, tão reais que você acha que foram colados lá.

O livro conta a história de Lennie Walker, uma menina de 17 anos que perdeu a irã há dois meses, em uma morte repentina e sem explicação, que deixou um grande vazio na sua vida, e ela fica nesse dilema, tentando se recuperar da grande perda, e entrando em outros mais. Ela nunca foi do tipo de garota que, meu Deus, garotos, quero todos, mas agora, em meio ao luto, essa vontade de garotos começa a aparecer, o que ela não se perdoa, pensando em como ela pode estar se apaixonando quando sua irmã acaba de morrer, ela se envolve com Toby, o namorado da sua irmã Bailey, e também se envolve com Joe, o menino mais lindo e alegre que ela já conheceu… Um livro em que a protagonista se auto conhece, que supera seus medos e anseios e principalmente suas tristezas, as tristezas de ter sido abandonada por sua mãe, as tristezas de sua irmã, seu principal apoio, estar morta e as tristezas de se auto martirizar por estar se apaixonando.

 

 

Anúncios
0

Resenha: Radiante

“Algum tempo após o acidente de carro que a matou, Riley Bloom deixou sua irmã, Ever, no mundo que conhecemos e atravessou a ponte da vida após a morte até um lugar chamado Aqui, onde o tempo é sempre Agora. Riley reencontrou os pais, também vítimas do desastre, e Buttercup, o cão da família. Todos estavam se adaptando a uma morte boa e tranquila, até que ela foi chamada perante o Conselho e um segredo lhe foi revelado: a pós-vida não significa simplesmente uma eternidade de lazer. Riley tem tarefas a realizar. Ela é designada como Apanhadora de Almas, e Bodhi, um garoto diferente, que ela não consegue decifrar muito bem, é seu guia. Riley, Bodhi e Buttercup voltam à Terra para sua primeira tarefa: fazer o Menino Radiante, que há anos assombra um castelo na Inglaterra, atravessar a ponte. Muitos Apanhadores de Almas já tentaram convencê-lo e não obtiveram sucesso. Mas isso foi antes que o menino conhecesse Riley…” Resenha Skoob

Comprei esse livro na super promoção que teve no Submarino no dia do consumidor, paguei tipo, 9,90 em um monte de livros que geralmente ficam na faixa dos 30,00, e esse tava lá, embora não fosse um livro que tivesse na minha lista de vou ler, acabei comprando (como já disse aqui, sou viciada em livros em promoção), e acabei gostando do livro, ele não era exatamente como eu esperava, mas gostei, eu esperava que ele tivesse algum romance, alguma coisa do tipo, mas nesse não aconteceu, acho que pela idade da Riley, mas tudo indica que nos próximos terá, também esperava que ela fosse narrar algumas visitas que ela fez a irmã, quem leu Para Sempre sabe do que eu estou falando, mas não, o foco da história é totalmente na adaptação dela ao mundo pós morte.

Depois de atravessar a ponte em SummerLand, Riley reencontra sua família em Aqui, lá, eles tentam levar uma vida normal. Para que essa vida ser mais normal ainda, o pai de Riley a matricula em uma escola, e nessa escola Riley descobre que a pós-vida não é apenas viver de lazer materializando coisas, ela tem tarefas a cumprir. Logo em seu primeiro dia ela é convocada para a designação de tarefas, passam um filme sobre a vida dela e chegam a tarefa perfita para ela: Apanhadora de Almas, ela deve convencer as almas a passarem a ponte, mas isso ela não fará sozinha, terá como guia um menino que logo de cara ela não gostou… Será que essa história será revertida?

16

Resenha: Garoto encontra garota

“Neste novo sucesso de Meg Cabot, Kate Mackenzie é assistente da TPM (Tirana, Perversa e Maldosa) Amy Jenkis, diabólica diretora de RH da empresa onde trabalha. TPM ordena que Kate demita a funcionária mais popular da empresa, o que a leva a ser processada pela demissão injusta. Mas, ao contrário do que todos imaginavam – que Kate ia se dar mal -, ela encontra o amor de sua vida no tribunal.” Resenha Skoob

Um livro simplesmente delicioso e diferente de ler, e bem o estilo dos Chick Lits da Meg Cabot, que eu nem amo…

O livro é da série “Boys” e é todo escrito em conversas por email, conversas de telefone, coisas que a personagem escrevia em lista e notas de supermercados, em cardápios, super diferente.

Existe outro livro antes desse, mas não li, pois este eu comprei num sebo e só tinha ele, mas as histórias dos livros dessa série são diferentes, cada conta a história de um protagonista diferente, embora ainda apareça alguns personagens do outro livro, mas isso não interfere muito se você começar a ler do segundo livro como eu, dá para entender uma história.

Esse daqui, “Garoto encontra garota”, conta a história de Kate Mackenzie, ela trabalha no setor de RH do The NY Journal, com sua melhor amiga Jen, com quem vive trocando emails da “fofoca”. A chefe delas Amy Jenkis, a quem carinhosamente elas chamam de TPM (Tirana, Perversa e Maldosa), vive atormentando elas, até manda a Kate demitir uma funcionária por ela, uma funcionaria que a Kate gostava muito, a senhora do carrinho de doce, só porque ela se rejeitou a dar doce a um dos funcionários, o advogado Stuard, que ela julga mal criado.

Além de todo o drama que sofre para conseguir demitir a senhora, ela acaba de sair de um relacionamento de 10 anos, e agora é obrigada a dormir no sofá da Jen, já que morava com seu antigo namorado e não consegue encontrar nenhum apartamento que caiba no seu orçamento.

Quando finalmente demite a senhora, essa senhora entra com um processo contra a empresa e como o advogado da empresa não pode representar o caso, ele pede para seu irmão, Mitch, advogar o caso. Mas tem um problema, o Mitch é totalmente lindo e encantador, joga basquete com cadeirantes e usa gravatas de desenho animado, além de ter mãos absolutamente perfeitas… Totalmente um cara dos sonhos para Kate, será que ela vai conseguir resistir?