0

Resenha: Qual seu número?

“Delilah Darling tem quase 30 anos e já se relacionou com 19 rapazes. Sua vida sentimental não tem sido exatamente brilhante, pois todo cara que conhece parece fugir do relacionamento. Quando lê uma matéria no jornal em que a média de homens para uma mulher de 30 anos é de 10,5, fica desesperada e assustada por estar muito acima dela. Além de tudo, o artigo no jornal terminava falando que, se a mulher tivesse o número acima dessa média, seria impossível a pessoa certa. Na tentativa de não aumentar seu número e perder de vez a chance de se casar, Delilah sai à procura de seus antigos namorados e tenta reconquistá-los. Será que um deles estará disposto a esquecer o passado e começar uma linda história de amor? Qual Seu Número? revela os segredos de cada mulher e prova que, quando se trata de assuntos do coração, números são apenas uma fração de tempo.” Resenha Skoob

Quando fiz a sinopse do filme Qual seu número? havia prometido para vocês que faria um outro post com a resenha do livro, que estava lendo no momento e simplesmente adorando, e que além da resenha, postaria também falando um pouco das diferenças entre o filme e o livro, que não são poucas e que isso faz com que as duas obras, livro e filme, fiquem totalmente, mas totalmente mesmo diferentes.

Bom, antes de realmente falar sobre o livro, vou falar sobre as diferenças: se você assistiu ao filme e é daquele tipo de pessoa que se assiste o filme não le o livro para não ficar aquela história de: já sei o que acontece, não vou ler o livro de uma coisa que já vi o filme, pode ficar sossegada, isso não acontecerá com este livro, a história é extremamente diferente do filme, a começar pelo nome da protagonista, sim, eles colocaram um nome diferente na Delilah no filme, Ally, no livro ela corre atrás de CADA um dos ex-s, o que considero o melhor do livro, por que olha, é cada história… primeiro livro que gargalhei lendo, no filme ela só vai atrás de se não me engano uns 3, não sai rodando o país inteiro atrás dele, e muuuitas outras diferenças que não vou contar para vocês, terão que ler o livro e assistir o filme para verem!

Vamos ao livro, Qual seu número? conta a história de Delilah, uma mulher de quase 30 anos e que, como ela mesmo diz, é fácil, já dormiu com quase 20 caras, para ser mais exata, quando o livro começa, ela dormiu com 19 caras… mas depois de uma noite de bebedeira né? hahahaa… Ela estava bem com isso, até que lê uma reportagem falando que a média de caras com quem uma mulher dorme na vida é 10,5, número que ela já passou faz tempo, e que depois que passa esse número, dificilmente ela encontrara a pessoa certa. E isso a preocupa e só para complementar a situação, ela acabou de perder o emprego, e de dormir com o cara que a demitiu. Até que lhe vem a seguinte ideia na cabeça: ela não precisa aumentar seu número, o seu futuro pode ser um de seus exs… E agora, com tempo, já que está desempregada, o dinheiro do seu seguro desemprego, e a ajuda de seu vizinho que o pai tem uma agência de detetive o que faz com que ele a ajude por um preço mais em conta, ela sai em uma aventura pelo pais atrás de seu passado-futuro.

Ótimo livro, mais um que li ao acaso e não me arrependi, melhor dizendo, entrou para minha lista de favoritos, e o melhor, ele está em promoção na Saraiva, só 9,90!

Anúncios
0

Resenha: O garoto da casa ao lado

“Escrito em forma de mensagens de e-mail, ‘O garoto da casa ao lado’ revela a história de Melissa Fuller, uma jornalista de celebridades que está prestes a perder o emprego. Numa certa manhã, Mel está 68 minutos atrasada para o trabalho, completando assim seu 37º atraso no ano. Um recorde. O departamento de Recursos Humanos já lhe mandou um memorando oficial sobre o assunto, seu chefe duvida seriamente do seu compromisso com o jornal e, além disso, até sua melhor amiga anda preocupada com seu bem-estar psicológico. Contudo, dessa vez, ela tem uma desculpa de verdade – estava socorrendo Helen Friedlander, sua vizinha de oitenta anos, que entrou em coma após levar um golpe na cabeça, em conseqüência de um misterioso atentado.” Resenha Skoob

Tanto tempo que não escrevo para vocês, me desculpem…

Hoje vou falar do livro O garoto da casa ao lado, da nossa querida Meg Cabot, o primeiro livro da série garotos, o livro antes do Garoto encontra Garota, que já postei a resenha aqui para vocês, e sim, eu li o segundo livro antes do primeiro, mas ele é aquele tipo de livro que um independe do outro. Bom, o que tenho a dizer sobre este livro: a Meg é melhor escrevendo livros para adolescente, toda vez que ela tenta escrever, pelo menos os que eu já li, um livro um pouco mais “adulto” a protagonista acaba saindo um pouco infantil sabe? Não sei, foi essa a impressão que tive, aliás que já tenho a algum tempo… Mas não sei, os livros que ela escreve como Patricia Cabot são um pouco mais adultos, nunca li nenhum deles, as vezes neles as protagonistas não sejam tão infantis, preciso ler um para comparar, para saber se quando ela assina como Meg Cabot ela realmente quer deixar um pouco mais infantil para suas leitoras adolescentes não terem tanto choque na leitura de um livro mas adulto… Ok, ok, vou parar de pensar aqui, rs.

Vamos a história do livro:

O livro conta a história de Melissa Fuller, uma colunista social louca para fazer reportagens mais sérias, porém, nunca seu chefe a leva  sério e só para piorar a situação, ela vive chegando atrasada e agora que sua vizinha foi atacada por alguém não identificado e entrou em coma, e além do mais, ela deixou seus bichinhos de estimação sós, e Mel se sente na obrigação de tomar conta deles… Após tantas saidas para cuidar dos bichinhos, ela decide ir atrás do único parente da senhora, seu sobrinho Max, um fotografo super famoso, e safado, e quando ela entra em contato com ele, ele logo entra em ação, resolve cobrar um favor devido a muito tempo de seu amigo John, ele pede para que ele vá no apartamento de sua tia para cuidar dos bichinhos e fingir ser ele por um tempo, porém com o que ninguém contava era que ele acabasse se envolvendo com Mel… Confusão na certa!

0

Resenha: O céu está em todo lugar

“Este é um livro de estreia vibrante, profundamente romântico e imperdível. Lennie Walker, de dezessete anos de idade, gasta seu tempo de forma segura e feliz às sombras de sua irmã mais velha, Bailey. Mas quando Bailey morre abruptamente, Lennie é catapultada para o centro do palco de sua própria vida – e, apesar de sua inexistente história com os meninos, inesperadamente se encontra lutando para equilibrar dois. Toby era o namorado de Bailey, cujos sentimentos de tristeza Lennie também sente. Joe é o garoto novo da cidade, com um sorriso quase mágico. Um garoto a tira da tristeza, o outro se consola com ela. Mas os dois não podem colidir sem que o mundo de Lennie exploda…” Resenha Skoob

Comprei o livro numa promoção da Saraiva, por 9,90, que inclusive ainda está em promoção (aqui), quando vi, como vocês já sabem que sou louca por promoções, comprei na hora, e não me arrependi, uma ótima história, e para mim, designer, o livro mais lindo que já vi, um ótimo trabalho gráfico, com aquelas capas com imitação das durinhas antigas ( esqueci o nome), as letras do livro são azuis, e ao passar do livro, tem uns bilhetinhos que a autora escreve, e aparecem as fotos dele, tão reais que você acha que foram colados lá.

O livro conta a história de Lennie Walker, uma menina de 17 anos que perdeu a irã há dois meses, em uma morte repentina e sem explicação, que deixou um grande vazio na sua vida, e ela fica nesse dilema, tentando se recuperar da grande perda, e entrando em outros mais. Ela nunca foi do tipo de garota que, meu Deus, garotos, quero todos, mas agora, em meio ao luto, essa vontade de garotos começa a aparecer, o que ela não se perdoa, pensando em como ela pode estar se apaixonando quando sua irmã acaba de morrer, ela se envolve com Toby, o namorado da sua irmã Bailey, e também se envolve com Joe, o menino mais lindo e alegre que ela já conheceu… Um livro em que a protagonista se auto conhece, que supera seus medos e anseios e principalmente suas tristezas, as tristezas de ter sido abandonada por sua mãe, as tristezas de sua irmã, seu principal apoio, estar morta e as tristezas de se auto martirizar por estar se apaixonando.

 

 

1

Resenha: O que aconteceu com o adeus

“Desde o amargo divórcio de seus pais, McLean e seu pai, um consultor de restaurante, se mudaram para quatro cidades em dois anos. Separada de sua mãe e da nova família de sua mãe, McLean seguiu com seu pai para deixar o passado infeliz para trás. E cada novo lugar dava-lhe a chance de experimentar uma nova personalidade: de líder de torcida a diva do drama. Mas agora, pela primeira vez, McLean descobre um desejo de ficar em um lugar e apenas ser ela mesma, quem quer que ela seja. Talvez Dave, o cara da porta ao lado, possa ajudá-la a descobrir. Combinando a marca registrada da escrita graciosa de Sarah Dessen, ótimos personagens, e a atraente história, What Happened to Goodbye é uma leitura irresistível.” Resenha Skoob

Bom, sou meio suspeita ao falar de algum livro da Sarah Dessen… Todos que estou lendo dela estão ficando no topo da minha lista de livros favoritos, e a autora em si, se tornou a minha autora predileta, seus livros são as tipicas histórias de YA, mas com personagens complexos, que não apenas se apaixonam pelo pelo menino e ficam a partir dai, tentando ficar por ele, com elas, o amor simplesmente acontece, embora elas não estejam procurando e nem querendo um namorado, elas se importam com a família, e muito, e tentam lidar com os dramas familiares, e ainda lidar com o seu próprio eu, e o seu descobrimento. Não tem como não se identificar com seus livros, mesmo com as histórias sendo diferentes da sua vida, alguma atitude ou personalidade de algum de seus personagens faz com que você se veja dentro do livro.

O que aconteceu com o adeus, foi aquele livro que eu comecei a ler e não sosseguei até terminar, devo confessar também que algumas horas cheguei a me emocionar com ele, ok, eu estava em dias muito emotivos, mas acima de tudo, foi um livro com várias frases que servem de lição de vida, sim, são poucos YA que tem esse estilo…

Após a separação de seus pais, Mclean Elizabeth Sweet, decidiu ir morar com o pai, um consultor de restaurantes que viaja muito, e essas viagens os fazem mudar muito, para ser mais exata, quatro cidades em dois anos… E nessas viagens, Mclean percebeu que essa era uma forma de mudar sua vida, em cada cidade que eles se instalaram, ela decidiu adotar um nome e uma personalidade diferente, porém sempre com algo em comum, não se apegar muito com as pessoas para que elas no futuro não venham a magoa-la, de líder de torcida a rainha do drama, Mclean sempre achou que esse era o melhor modo de levar sua vida, até que eles se mudam para Lakeview, e assim como das outras vezes, ela tenta adotar uma nova personalidade, porém, essa sua nova personalidade não vai muito longe, ela acaba logo no primeiro dia, e uma novo nome a escolhe, o seu próprio nome, Mclean, e então ela entra em uma busca para descobrir seu verdadeiro eu, que ela percebeu que não existia devido a tantas mudanças de personalidade, além de descobrir o verdadeiro significado da amizade e de quebra, um amor…

3

Resenha: Jogos Vorazes

“Após o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte! Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?” Resenha Skoob

Sei o que vocês vão falar, mais um post sobre o “clichê” do momento, sim, mais um post sobre jogos vorazes. Confesso que sabia da existência do livro muito antes dele virar febre e filme, quando ele foi lançado aqui no Brasil vi muitos elogios sobre ele, mas nunca tinha tido aquela vontade de lê-lo, acho que por causa da capa, sim, julguei um livro pela capa, mas vamos concordar que ela não é muito lá atraente. Enfim, mas depois de tanto ouvir as pessoas elogiarem o livro decidi, vou lê-lo, e me surpreendi, acho que definitivamente se ele não tivesse virado modinha eu não o teria lido e teria deixado de ler um bom livro, que eu gostei muito, apesar de não ser o estilo de livro que eu gosto.

Agora sobre o filme, eu não assisti, foi por falta de tempo mesmo, e pelo que vejo, imagino o livro em si totalmente diferente do jeito do filme, os personagens, os cenários, o que me fez gostar ainda mais da história.

Ok, vocês já devem estar carecas de saberem a história, mas como toda resenha, tenho que falar um pouco sobre a história do livro…

Katniss, vive em uma nação chamada Panem, que é dividida em distritos, para ser mais exata em 12, antigamente eram 13 distritos, mas um devido a uma revolta, a Capital, que comanda tudo que acontece nos distritos, destruiu o 13º distrito, e para provar que ninguém deve se rebelar contra a Capital, foram criados os Jogos Vorazes, onde todo ano são escolhidos 2 adolescentes de cada distrito, um menino e uma menina, para lutarem dentro de uma arena, o ultimo vivo sai vencedor. Katniss, do distrito 12, tem uma vida sofrida, seu pai morreu em uma explosão na mina de carvão e desde então são apenas ela,sua mãe e sua irmã Prim, para ajudar a família a sobreviver, ela começa a caçar ilegalmente na floresta, onde ela conhece seu melhor amigo Gale, que também teve o pai morto na explosão e também caça ilegalmente para sustentar a família. Para os Jogos Vorazes, são feitas as inscrições das pessoas de 12 a 18 anos, e cada inscrição feita dá o direito a família de ganhar um tipo de suprimento da Capital, então muitos dos adolescentes, optam por colocar o nome deles no sorteio diversas vezes para poder ganhar mais suprimentos, e desse sorteio sai os nomes de quem irá participar dos Jogos. Katniss já tem o nome no sorteio cerca de 20 vezes, e esse ano é o primeiro ano de sua irmã, então ela só tem o nome uma vez no sorteio, como Prim só tinha o nome uma vez no sorteio, nunca passou pela cabeça de Katniss que ela seria a sorteada, mas foi, então para proteger a irmã de ir lutar e morrer nos Jogos Vorazes, Katniss se oferece para ir no lugar dela. O menino que a irá acompanhar é Peeta, um menino que marcou muito sua infância. E então eles vão para arena, para morrer ou vencer, mas até onde será que eles vão para poder sairem vivos de lá?

1

Resenha:Não Sou Esse Tipo de Garota

“Perversa ou inofensiva? Confiável ou hipócrita? Controlada ou insensata? A vida é sobre suas decisões e escolhas, e Natalie Sterling se orgulha de sempre fazer as melhores. Ela ignora os caras populares e babacas da escola, sempre ganha medalhas de honra e está prestes a ser a primeira estudante jovem a ser presidente do conselho estudantil em anos. Se apenas todas as outras garotas fossem tão sensíveis e fortes. Como o grupo de novatas que querem ser brinquedos dos jogadores de futebol. Ou sua melhor amiga, que tomou uma decisão idiota que quase arruinou sua vida. Mas ser sensível e forte não é fácil. Não quando uma brincadeira quase a faz ser expulsa. Não quando seus conselhos dóem mais do que ajudam. Não quando um cara que ela já deu um fora se torna o cara que ela não consegue parar de pensar. A linha entre o certo e o errado foi distorcida, e cruzá-la poderá resultar em um desastre… ou se tornar a melhor escolha que ela já imaginou fazer.” Resenha Skoob

Acabei de ler um livro que eu estava lendo e fiquei impaciente por não ter nada para ler, juntei um dinheirinho que tinha, já que aqui em casa não me dariam dinheiro para comprar dois livros na mesma semana, peguei minha lista de vou ler e fui na livraria, o único que tinha lá disponível na hora era Não sou esse tipo de garota, então o comprei. A noite deitei no sofá um tempinho para ler, e acabei ficando lá até o fim do livro, é daquele tipo de livro que você se empolga, lê inteiro, e depois fica querendo mais e com raiva de você mesmo por ter lido tão rápido e o livro acabado.

Não sou esse tipo de garota foi um livro com o qual me identifiquei muito com a personagem, para falar a verdade me vi perfeitamente nela, a menina focada nos estudos e que por opção prefere não namorar para que nada interfira no seu tão sonhado futuro, entrou para a minha lista de livros preferidos. Não é aquele tipico clichê que apenas conta a história da personagem, ele além de contar a história, passa diversos valores a quem está lendo, como se valorizar mais perante os meninos, e até mesmo como não encarar a vida achando que ela gira em torno dos seus estudos, ensina que você realmente deve vivê-la para ser feliz e que você não pode controlar tudo que acontece a sua volta, além de tratar abertamente sobre assuntos não tão tocados, como o que acontece se você transa e isso cai na boca do povo.

O livro conta a história de Natalie, o tipo de menina certinha que acha que namoro só serve para que no fim acabe mal,com você magoada e mal falada, ainda mais quando se trata de namoros de escola. Agora ela está no seu ultimo ano escolar… Vestibular, conselho estudantil, enfim, sua cabeça está cheia. Sua melhor amiga, Autumn, foi vitima dessa situação tão temida por Natalie, e isso a assombra a alguns anos, mas ela está decidida a mudar. As coisas ficam mais complicadas ainda quando Spencer chega a escola como caloura, uma menina que não tem medo de nada e sabe como esnobar um garoto. Natalie, havia sido babá de Spencer, e se sente na obrigação de protege-la de mundo dos garotos quando ela se mete em confusão… Nesse emaranhado de acontecimentos, Natalie acaba se envolvendo com um garoto com quem ela nunca tinha se imaginado, e isso só complica as coisas ainda mais… Será que Natalie conseguirá sustentar sua filosofia e ainda dar conta da responsabilidade do conselho estudantil, de cuidar de Spencer e ainda manter sua amizade com Autumn?

 

0

Resenha: Radiante

“Algum tempo após o acidente de carro que a matou, Riley Bloom deixou sua irmã, Ever, no mundo que conhecemos e atravessou a ponte da vida após a morte até um lugar chamado Aqui, onde o tempo é sempre Agora. Riley reencontrou os pais, também vítimas do desastre, e Buttercup, o cão da família. Todos estavam se adaptando a uma morte boa e tranquila, até que ela foi chamada perante o Conselho e um segredo lhe foi revelado: a pós-vida não significa simplesmente uma eternidade de lazer. Riley tem tarefas a realizar. Ela é designada como Apanhadora de Almas, e Bodhi, um garoto diferente, que ela não consegue decifrar muito bem, é seu guia. Riley, Bodhi e Buttercup voltam à Terra para sua primeira tarefa: fazer o Menino Radiante, que há anos assombra um castelo na Inglaterra, atravessar a ponte. Muitos Apanhadores de Almas já tentaram convencê-lo e não obtiveram sucesso. Mas isso foi antes que o menino conhecesse Riley…” Resenha Skoob

Comprei esse livro na super promoção que teve no Submarino no dia do consumidor, paguei tipo, 9,90 em um monte de livros que geralmente ficam na faixa dos 30,00, e esse tava lá, embora não fosse um livro que tivesse na minha lista de vou ler, acabei comprando (como já disse aqui, sou viciada em livros em promoção), e acabei gostando do livro, ele não era exatamente como eu esperava, mas gostei, eu esperava que ele tivesse algum romance, alguma coisa do tipo, mas nesse não aconteceu, acho que pela idade da Riley, mas tudo indica que nos próximos terá, também esperava que ela fosse narrar algumas visitas que ela fez a irmã, quem leu Para Sempre sabe do que eu estou falando, mas não, o foco da história é totalmente na adaptação dela ao mundo pós morte.

Depois de atravessar a ponte em SummerLand, Riley reencontra sua família em Aqui, lá, eles tentam levar uma vida normal. Para que essa vida ser mais normal ainda, o pai de Riley a matricula em uma escola, e nessa escola Riley descobre que a pós-vida não é apenas viver de lazer materializando coisas, ela tem tarefas a cumprir. Logo em seu primeiro dia ela é convocada para a designação de tarefas, passam um filme sobre a vida dela e chegam a tarefa perfita para ela: Apanhadora de Almas, ela deve convencer as almas a passarem a ponte, mas isso ela não fará sozinha, terá como guia um menino que logo de cara ela não gostou… Será que essa história será revertida?